SER+ Com Coaching | Como enriquecer com 11 dicas de Coaching Financeiro

0
286
Coaching Financeiro

Quem nunca teve o desejo um dia de ser rico? Ou ao menos de ganhar dinheiro a ponto de sustentar a família e ainda ter sobra para se divertir bastante e comprar objetos de desejo? Esses são os sonhos da maioria das pessoas.

Mas trabalhar, ganhar dinheiro e administrar as finanças não é uma tarefa tão lógica e fácil de gerir. São necessários bons hábitos e alguns conhecimentos específicos para chegar ao tão sonhado plano de poder ter dinheiro de sobra para conquistar metas.

Para ajudá-los, reuni algumas dicas de Coaching Financeiro sobre hábitos que ajudam a enriquecer. Confira as perguntas e busque as suas respostas:

1. Primeiro defina: o que é ter uma vida rica para você?

Faça uma reflexão e defina o que é ter uma vida rica ou ser bem-sucedido para você e sua família. Ser rico não é necessariamente ter uma montanha de dinheiro na conta; pode ser viver em uma cidade que sempre desejou, ter uma vida plena sem problemas com dívidas, família em harmonia e a possibilidade de fazer coisas que gosta sem prejudicar as finanças. Por isso, em vez de fazer uma lista sobre coisas que quer ter, faça um grande plano sobre o que quer ser. Uma maneira de realizar grandes projetos é focar em poucos e grandes objetivos.

2. Você tem uma planilha financeira?

Faça um retrato da sua vida financeira. Use uma planilha financeira e coloque nela todos os custos que sua família tem durante o mês. Assim você saberá quanto entra, quanto sai e o que sobra (e se sobra).

3. Você consegue ajustar seus gastos e as suas contas?

Conhecendo a realidade das suas finanças, está na hora de fazer ajustes. Retire do orçamento os gastos supérfluos ou que você paga e não usa. Reduza seus custos. Faça um esforço para cortar e economizar aqui e ali com o objetivo de reduzir em pelo menos 10% os seus gastos.

4. Você vive de aparências?

Não adianta querer elevar o padrão de vida se a conta não fecha. Por que andar com celular mais moderno, carro do ano, se no fim do mês o saldo é negativo?

A realidade é bem mais direta e complicada: a possibilidade de ter tudo isso podendo se bancar (de verdade) fica cada vez mais distante, e isso afasta você da independência financeira.

5. Quanto vale a sua hora de trabalho?

Você sabe quanto ganha por hora? Faça as contas para você saber quanto vale a sua hora de trabalho. O tempo é o bem mais precioso e o seu sucesso vai depender se você faz bom uso dele. Com isso você dará mais valor as tarefas que faz e verá que com certas coisas não vale a pena perder tempo.

6. Quanto do seu tempo você investe em obter novos conhecimentos?

Conhecimento é o seu maior investimento. Por isso, leia livros, artigos, faça cursos (há muito conteúdo gratuito e de boa qualidade na Internet), siga pessoas que te inspirem, como empreendedores de sucesso, escritores e autores diversos. É o conhecimento que vai te dar a base para manter o foco em busca de uma vida mais rica e ajudar você e sua família a tomar decisões certeiras.

7. Você se valoriza?

Estabilidade é algo que muita gente busca, mas é também algo que arrepia as pessoas bem-sucedidas. Aprenda a avaliar se o seu trabalho e salário estão compatíveis com o mercado. Se

não estiverem, tente renegociar o seu salário ou comece a buscar outras oportunidades que irão valorizar o profissional que você é.

8. Onde está o seu foco na hora de gastar?

Você só vai juntar dinheiro de duas formas: ganhando mais dinheiro ou gastando menos. No curto prazo, é mais fácil cortar gastos, por isso pense duas vezes antes de sair comprando coisas que não estavam planejadas.

9. Você consegue fazer escolhas inteligentes?

As coisas são mais simples do que imaginamos, somos nós que complicamos. Por exemplo: reavalie os planos de celular e as possibilidades de planos para TV por assinatura. Escolhe as que tem maior custo benefício, tendo a certeza que irá usar. Dá um pouco mais de trabalho, mas ajuda no final do mês.

10. Você sabe investir?

Não trate investimento como supérfluo ou algo para “quando tiver um dinheiro sobrando”. Coloque-o como prioridade assim que o dinheiro cair na sua conta. Defina uma meta de X% para investir todo mês (de 10% a 30%, pelo menos). Esse valor fixo irá te ajudar a criar o hábito de investir com comprometimento.

11. Como sua família se envolve na saúde financeira do lar?

O seu planejamento só vai dar certo se as pessoas que convivem com você fizerem parte disso, por isso o diálogo e comprometimento é fundamental. Em vez de compartilhar problemas, promova diálogos que busquem soluções e pensamentos positivos.

Espero tê-los ajudado!

Boa semana e até a próxima!

Responda