Beabá da Nutrição | Porque e como você engorda

0
150
Porquê e como você engorda

Porque engordamos? Pode ser devido a um fator emocional ou genético, por comer de maneira pouco saudável, pode ser um medicamento que você está tomando ou uma fase de vida – a menopausa e pré-menopausa, por exemplo. Vários são os motivos. E se você está acima do peso adequado, o mais importante é entender o porquê engordou e tentar tratar a raiz do problema.

Quando o motivo é uma alimentação pouco saudável, você vai precisar entender as reais necessidades do seu organismo. Cada indivíduo é único e apresenta necessidades próprias, mas todos necessitam de uma determinada quantidade de energia diária para suprir as demandas do organismo e mantê-lo funcionando de forma adequada. Assim, as calorias ingeridas diariamente através da alimentação, devem ser suficientes para manter as funções vitais do corpo (digestão, respiração, excreção e circulação) e cobrir os gastos com as diversas atividades básicas diárias (ex.: trocar roupa, escovar os dentes, etc) favorecendo a manutenção do peso. Desta forma, quando as calorias ingeridas estiverem abaixo desta necessidade, ocorrerá o emagrecimento e, quando estiverem acima, ocorrerá o aumento de peso.

Para engordar 1Kg em gordura corporal é necessário ingerir aproximadamente 7700Kcal. Na teoria funciona assim: se um indivíduo que necessita de 2000Kcal para manter seu peso ingerir, durante 7 dias, 1000Kcal extras por dia, ou seja, este indivíduo ingere 3000Kcal por dia, ao final deste período ele terá engordado 1Kg. Ou, se este mesmo indivíduo ingerir, em média, 260Kcal extras por dia durante um mês, ele também engordará 1Kg. Isto mostra que o aumento de peso é consequência de exageros constantes e recorrentes. Exagerar de vez em quando não é necessariamente um problema.

O sobrepeso se inicia quando o excedente de energia é armazendado na forma de tecido adiposo ou gorduras subcutâneas. Vamos a um exemplo prático: a capacidade de estocagem de carboidratos (açucares e doces em geral, massas, pães e cereais, etc.) pelo organismo é limitada. Isto quer dizer que, se ingeridos em excesso, o fígado irá transformá-los em gordura sob a forma de triglicerídeos e armazená-lo em diversas regiões do nosso corpo, contribuindo para o acúmulo daquelas indesejáveis gordurinhas localizadas, subcutâneas e viscerais. Assim como os carboidratos, excessos na ingestão de lipídios e proteínas também serão convertidos em tecido adiposo.

Quando estas gorduras estão acumuladas na região abdominal e envolvem nossos órgãos e visceras, os riscos para problemas cardiovasculares (hipertensão, infarto, AVC, arteriosclerose, etc) são mais elevados se comparado ao acúmulo de gordura na região do quadril. Por isso, evitar o aumento de peso é um dos meios mais eficientes de se prevenir contra estes problemas.

Se descartados problemas genéticos, emocionais, hormonais e causas medicamentosas e, o motivo do aumento de peso for realmente uma alimentação pouco saudável e com excessos, é o momento de tomar consciência das suas verdadeiras necessidades e iniciar uma mudança de hábitos alimentares. Comece dando mais lugar às frutas, verduras, legumes e grãos e diminua o consumo de alimentos industrializados (enlatados, embutidos, prontos para o consumo). Coma o suficiente, devagar, em local tranquilo e não poupe na mastigação. Pratique atividade física para auxiliar no seu gasto calórico. Evite dietas muito restritivas e dietas da moda. Caso seja necessário, procure ajuda profissional e faça acompanhamento

nutricional para uma melhor orientação. Cuidar da saúde ainda é o melhor investimento a curto e longo prazo!

Volto na próxima edição com mais um tema sobre nutrição saudável!

Tais Miranda Nutricionista

Responda