SER+ Com Coaching | 7 perguntas para pais investigarem o desenvolvimento dos filhos e ajudá-los a ter sucesso escolar

0
83

Pais com filhos em idade escolar precisam acompanhar a vida deles de perto, sendo sensíveis para observá-los, monitorá-los e tomar as melhores estratégias possíveis para ajudá-los em seu desenvolvimento pessoal, social e cognitivo.

Nesse processo investigativo para saber como os filhos estão, os pais podem notar quando os filhos perdem o interesse pela aprendizagem, se ocorre um baixo desempenho inesperado, compreender os problemas comportamentais ou emocionais persistentes, se tem declínio na confiança e auto estima, podem ainda compreender e fazer parceria com a escola, preparar os filhos para as avaliações, buscar apoio e segundas opiniões.

Baseando-se em 7 perguntas investigativas, fruto de pesquisas, os familiares podem se tornar especialista em seu filho, ajudando-o a ter sucesso escolar. Veja quais são e se questione rotineiramente:

  1. Precisamos lidar com problemas físicos ou de saúde com nosso filho?

Reconheça problemas de fadiga, visão, audição, fala, compreensão, transtornos convulsivos, resfriados frequentes, se comem mal, dormem pouco, entre outros. Estes fatores podem alterar ou somar com outras dificuldades em aprender.

Cheque os efeitos colaterais de medicamentos utilizados para ver se não são eles que estão alterando a saúde do seu filho, prejudicando-o na escola.

Busque serviços terapêuticos se necessário.

  1. Qual é o potencial geral de aprendizagem do meu filho?

Procure saber quais tarefas são fáceis, médias ou difíceis para o seu filho, bem como o desempenho escolar em cada disciplina. Quanto mais entendê-las mais precisamente poderá prever que tipo de atividades e tarefas serão difíceis, como ajudá-los (em casa, com ajuda da escola ou de parceiros externos) e quais os ajudará a conduzi-lo para o sucesso.

  1. Exatamente, onde estão as áreas problemáticas?

Utilize a intuição de pais, desenvolvidas ao longo do tempo de convivência com os filhos.

Você deve conhecer em qual momento ele presta mais a atenção, como reage a críticas e frustrações, como ele se comporta em grupo, que tipo de contexto ele parece mais feliz e relaxado. Estas respostas podem fornecer mais dados sobre o que tem paralisado ou prejudicado o processo de aprendizagem da criança.

Pergunte aos filhos o motivo da dificuldade. Muitas vezes a resposta é clara.

  1. Questione-se: Quais são os pontos fortes de meu filho?

Toda criança tem áreas de relativa capacidade que não podem ser ignoradas ou desvalorizadas por causa de uma habilidade que supostamente é importante para a vida acadêmica.

Os pontos fortes são importantes para compensar as áreas fracas.

Com menos estresse, pressão e com autoestima elevada a criança pode compensar a área fraca com outra habilidade de apoio. (Por exemplo: a pessoa escreve mal, mas fala bem. Pode então, começar uma redação ditando para alguém escrever, ou gravando num gravador. Em paralelo faz um reforço para as habilidades de escrita).

O envolvimento em esportes e artes salva a humanidade de qualquer um! Capacidades de expressão, comunicação, raciocínio, libertação de emoções podem ajudar a criança.

  1. De que tipo de apoio meu filho precisa?

Investigue como as conquistas do seu filho nas disciplinas se comparam aos alunos da mesma série. Quais habilidades específicas dentro de uma área ampla são realmente problemas? Qual é o programa especial de aprendizagem que a escola e o professor tem desenvolvido com o seu filho (se é que estão desenvolvendo algo especifico para ele)? Qual é o estilo de aprendizagem pessoal do seu filho e qual método escolar que colabora para este estilo? A partir daí decida qual apoio ele mais precisa.

  1. Pergunte-se: De que tipo de apoio social meu filho precisa?

Várias dificuldades de aprendizagem podem interferir no sucesso social, como: problemas com a comunicação verbal, dificuldades para interpretar expressões faciais ou corporais, dificuldades para entender as regras dos jogos, comportamentos impulsivos e inapropriados.

Crianças com problemas de aprendizagem podem ter problemas para iniciar e manter relacionamentos sociais (e vice-versa). A rejeição social pode ter um impacto ainda maior do que o fracasso escolar.

A confiança social afeta o sucesso na escola. Crianças com boas habilidades interpessoais (expressivas, agradáveis) tendem a se relacionam positivamente com as outras crianças e adultos, obtendo mais ajuda, aprovação e encorajamento.

Crianças com dificuldades sociais precisam de ajuda para aprender estas habilidades de forma mais direta (como iniciar uma conversa, responder adequadamente aos outros, expressar sentimentos, atenção a aparência pessoal, postura e higiene).

Fazer um esforço para entender o temperamento e os padrões de comportamento do seu filho pode ajudá-lo a organizar eventos sociais que mostrem o melhor da personalidade dele.

Isolamento social é um sinal de alerta.

  1. De que tipo de apoio emocional meu filho precisa?

Incentivo adicional e compreensão de suas famílias para manterem sua coragem e auto-estima é essencial.

Conselheiros/ orientadores profissionais podem também colaborar se houver tendências destrutivas.

Estabelecer expectativas reais, não ser superprotetor (ajudar exageradamente), não sentir-se frustrado, culpado ou ansioso como pai favorece o processo educativo e de autoridade necessários.

Para a maioria das crianças a autoestima depende de como elas se sentem com relação a pessoa que vêem refletida nos olhos de seus pais, portanto, amem-as como são, respeitando suas limitações, sendo paciente com seu processo de crescimento. Transmita compaixão, amor incondicional e respeito ao olhar para seus filhos.

Queridos pais, fiquem de olho e aprimorem suas habilidades investigativas! Vocês são essenciais na vida de seus filhos e muitas dificuldades podem ser evitadas com ajuda de vocês.

Então, levante a antena, garanta sua “lupa” e investigue sempre!

Responda