Suplente acusa vereador Rafael Silva de quebra de decoro, ele se defende: “Mais uma mentira”

0
1191
Vereador Rafael Silva
Vereador Rafael Silva

Ao final da 11º Sessão Ordinária do ano de 2017, que aconteceu na segunda-feira  (07), uma denúncia pegou todos aqueles que estavam presentes no plenário de surpresa.

Marcos Silva de Menezes, conhecido por ”Bilo”, do Partido Solidariedade suplente do vereador Rafael Silva (PSC), apresentou uma denúncia contra o vereador titular, acusando que ele teria infligido normas do Decoro Parlamentar e teria tido condutas incompatíveis com a dignidade do legislativo.

O denunciante é suplente de Rafael Silva, ambos fazem parte da Coligação Família Cristã. Marcos teve 296 votos na última eleição e tem interesse direto na vaga de vereador no lugar de Rafael Silva, o que teria motivado a denúncia.

Em entrevista para a Rádio Difusora, Rafael Silva comentou a denúncia:

“Eu vejo com muita naturalidade, este tipo de comportamento faz parte, infelizmente, faz parte do processo político brasileiro. Esse moço, Marcos Silva de Menezes, vulgo ”Bilo”, disputou 03 eleições em Ouro Fino e perdeu as 03 eleições, e agora nesta última eleição, ele ficou aproximadamente 200 votos atrás da minha colocação. Ele, mal assessorado, mal orientado e mal induzido, entra com essa denúncia por quebra de Decoro Parlamentar, uma situação que não ocorreu. Antes de ser vereador, sou advogado. Eu conheço as leis, eu conheço o regimento interno da Câmara de Vereadores e, acima de tudo, sou uma pessoa que tenho educação de berço. Embora, minha família seja muito simples, mas, amor, carinho, respeito e principalmente educação nunca me faltou. Então, essa história que eu agredi os meus colegas vereadores fisicamente, está até escrito aqui, com beliscões e verbalmente, nada disso ocorreu. Eu tenho as minhas opiniões, minhas convicções políticas e acredito que Ouro Fino precisa de projetos. Ouro Fino tem que melhorar, precisa ter uma fiscalização maior para com o dinheiro público. E tudo isso aí gera um mal-estar em inúmeras pessoas que culminou nesta denúncia. Mas, com fé em Deus isso aqui será superado com muita naturalidade.”

Rafael, também disse que irá se defender das acusações:

“Com certeza, me defenderei. Me defenderei no Plenário da Câmara dos Vereadores, me defenderei juridicamente, com a confiança cristã que o melhor será feito. Não para mim, mas, para a cidade de Ouro Fino. Porque a verdade tem que prevalecer. A minha campanha de vereador foi uma campanha limpa e propositiva. Já na campanha, eu apresentava projetos para Ouro Fino, e um deles, era de promover uma fiscalização rigorosa para com o dinheiro público, e isso estou fazendo. Em relação ao mandato de vereador, tenho apresentado projetos, tenho conversado com os colegas, tenho conversado com todos os setores da nossa sociedade. Mas, farei a defesa sim, e sairemos vitoriosos, mais uma vez.”

Na denúncia, consta que o vereador tem realizado reuniões secretas, com fins espúrios e inconversáveis, o vereador nega o fato:

“Mais uma mentira. As reuniões que eu faço são todas públicas. Vereador é uma pessoa pública. Ele passa a ser um servidor público da cidade que ele representa, todas as reuniões que eu faço são abertas. Já me reuni com várias associações de bairros, com a Associação Comercial, com diversas igrejas, com amigos advogados da OAB e com a sociedade civil para nós buscarmos propostas, para buscarmos saídas para a crise econômica, para a crise moral por qual nosso país passa e isso pode refletir em Ouro Fino. Então, a política é isso, deixar a porta aberta. Eu não posso fazer política de porta fechada e ignorar a opinião da sociedade. Ali, eu represento o eleitor. E essas reuniões, não sou só eu que faço, outros vereadores também fazem com seus seguimentos. E essa alegação que eu estou denegrindo a imagem da Câmara, mais uma vez, trata-se de ser uma outra grande mentira, pois, em toda ocasião pública, eu elogio a Câmara dos Vereadores, eu defendo a Câmara dos Vereadores. Aqui na Rádio Difusora mesmo, nas entrevistas que eu concedo para você ou no Microfone Aberto, para o Geraldo Afonso, eu até enalteço o serviço público que a Câmara dos Vereadores faz. Infelizmente, eles querem achar ‘pelo em ovo’, querem me atacar de alguma forma. Eu sou um vereador que tenho feito meu trabalho com muita transparência, já apresentei mais de 10 projetos e cobro aquilo que deve ser feito. Então, acredito que Deus não nos deu o espirito de covardia e nem espirito para que nós viemos retroceder. Tenho fé em Deus, que o melhor será feito.”

Após a denúncia, a Câmara sorteou uma comissão para analisar a denúncia. Fazem parte dela os vereadores: Vanderlei Cândido de Almeida, como presidente. José Maria de Paula, como vice-presidente e Antônio Ricardo Alves, como relator. Eles terão o prazo de 10 dias corridos para analisarem a denúncia. Após passado o prazo, a comissão terá que emitir a sua decisão, que será de arquivar ou prosseguir com o caso.

Além disso, o parecer será apresentado ao plenário, onde os outros vereadores terão que aceitar ou não o parecer da comissão.

O suplente Marcos Silva de Menezes não se manifestou após a entrevista de Rafael Silva.

Responda