Crianças impacientes, entediadas e facilmente frustradas: por quê e como ajudá-las

0
134
De uns anos para cá vemos um movimento de pais e educadores com muita dificuldade de educar e até de conviver com as crianças que estão cada vez mais impacientes com as frustrações, mais entediadas na escola e até mesmo para brincar livremente.
Há muitos relatos de declínio no funcionamento social, emocional e acadêmico das crianças, bem como um aumento acentuado em dificuldades de aprendizagem e outros diagnósticos.
Há muitos fatores que podem explicar estas mudanças, o que tratei hoje refere-se às mudanças no nosso estilo de vida moderno que contribui para isso:
1- Uso excessivo da Tecnologia
A tecnologia, com certeza, mudou a vida da humanidade e vem transformado cada vez mais os campos de trabalho e escolares que buscam se adaptar ao movimento moderno.
A tecnologia usada pelas crianças desde muito cedo (acesso aos celulares, vídeo games, etc) pode trazer alguns benefícios, mas também muitos danos.
Danos no desenvolvimento emocional, social e cognitivo pois comparada com a realidade virtual, a vida cotidiana é chata.
Quando as crianças vão para a sala de aula, por exemplo, elas são expostas a estímulos mais baixos e a uma comunicação humana que são o avesso do bombardeio de explosões gráficas e efeitos especiais que eles estão acostumados a ver nas telas.
Estudar, então, passa a ser um desafio cerebral que busca o prazer nos altos níveis de estimulação semelhantes aos dos jogos, gerando uma vulnerabilidade acadêmica.
A tecnologia também nos afasta dos contatos sociais e a aprendizagem emocional e relacional é prejudicada.
2- As crianças não aprendem a esperar
Hoje em dia quase todo mundo consegue ter acesso à comida, roupa e brinquedos baratos. Logo, quando uma criança diz: “estou com fome” tira-se logo um produto da geladeira ou de um saquinho. Quando diz “quero este brinquedo”, logo algo lhe é comprado. Quando ele está “entediada” ou numa fila de espera entrega-se o celular.
A capacidade de esperar para ganhar algo, de ter paciência, de ouvir não é uma aprendizagem para saber lidar com o estresse, com os desafios da vida e do trabalho. E muitas crianças estão crescendo com deficiência nessa aprendizagem.
3. As crianças querem estar sob domínio e somente se divertirem 
Na maioria das famílias, ambos os pais estão trabalhando. Isso tem trazido um pouco de culpa aos pais que acabam fazendo todo esforço para trazer somente diversão e prazer para as crianças, quando estão com eles.
As responsabilidades e as obrigações que já caberiam à uma criança fazer é sempre protelada porque os pais acabam fazendo  por ela ou uma assistente do lar.
Isso ensina às crianças que elas não precisam fazer obrigações e estar se divertindo é o mais importante.
Com medo também de serem autoritários e severos alguns pais perdem a autoridade.
Logo vemos as crianças mandarem na família, desde qual comida querem comer no final de semana até em qual cama vão dormir. E isso se reproduz na escola e com os amigos também.
4-Interação social limitada
As crianças costumavam brincar lá fora, nas ruas e praças, onde, em ambientes naturais não-estruturados, aprendiam e praticavam suas habilidades sociais com outras crianças e adultos da vizinhança. Infelizmente, a tecnologia – TV, computadores, vídeo games, celulares – tem substituído completamente o tempo ao ar livre. Além disso, a tecnologia tornou os pais menos disponíveis para interagir socialmente com seus filhos, pois eles também têm ficado mais tempo nos celulares.
Bem… frente a estes desafios, veja o que é possível fazer para ajudar as crianças:
1. Limite a tecnologia e reconecte-se emocionalmente com seus filhos, buscando sair ao ar livre para estarem juntos
2. Treine a gratificação atrasada. Faça o esperar usando a criatividade.
3. Não tenha medo de definir os limites. Elas precisam e muitas vezes esperam por isso.
4. Promova pequenos encontros com colegas desafiando-os a não usarem eletrônicos.