Vendas online impulsionam mercado de suplementos

0
306
Suplementos
Suplementos (Foto: Divulgação)

Mesmo com a economia retraída dos último anos, o número de vendas feitas pela internet seguiu crescendo consideravelmente, e só no primeiro trimestre de 2019 registrou uma alta de 23% – somando R$ 17 bilhões – tendo ainda muito espaço para expandir. Surfando na onda de crescimento do e-commerce, o comércio de suplementos alimentares cresceu 8,5% no último ano e estima-se um aumento de 11% para o ano de 2019.

Com a mudança na forma de consumo e no perfil do consumidor de suplementos alimentares, o setor têm investido fortemente em implementar novos produtos para popularizar seu uso. O carro chefe dos suplementos alimentares continua sendo o Whey Protein – proteína isolada -, mas existem muitos outros no mercado. Para ampliar o leque de produtos, já existem suplementos em forma de snacks e chocolates protéicos.

Apesar de o Brasil ser o terceiro país do mundo que mais consome esse tipo de produto, apenas 5% da população faz uso dos complementos, de acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Suplementos Nutricionais e Alimentos para Fins Especiais (Brasnutri). O perfil do consumidor é basicamente esportista, entre 25 e 35 anos, do Sudeste e Sul do país. Mas isso está mudando.

Cada vez mais pessoas procuram por produtos que tragam benefícios à saúde e sejam clean label, com menos componentes artificiais. Os médicos e nutricionistas têm indicado a suplementação com mais frequência, porque a qualidade de alimentação das pessoas está num nível ruim.

Com isso, perde-se muito em nutrientes e minerais importantes para o bom funcionamento do organismo. Quando cientes de que precisam fazer uma reeducação alimentar, é frequente a necessidade de se repor alguns desses componentes com a suplementação.

A internet tem impulsionado as vendas de produtos do gênero. Primeiro porque é onde estão disponíveis as mais variadas informações a respeito de um produto e com fácil acesso. Depois, pela facilidade e praticidade de comprar e receber em casa. E ainda, porque pode-se comparar os preços e poupar.

Os fabricantes nacionais vêm registrando aumento em suas receitas ano a ano. Percebeu-se também uma outra mudança no comportamento dos clientes, que antes procuravam por marcas internacionais, e hoje dão preferência às nacionais. Cada vez mais pessoas buscam suplementos com objetivos específicos. O Whey Protein é o queridinho de quem quer consumir mais proteínas, enquanto a glutamina é muito útil para atletas, comumente expostos a grandes exigências físicas.

No entanto, mesmo com o aumento no consumo de suplementos, a indústria acredita que, apesar de não ter sofrido grande impacto durante a crise econômica, as pessoas ainda não estão abertas ao aumento nos preços, visto que o grande volume de mercado ainda vem das classes C e D.

Indústria de suplementos comemora decisão da Anvisa

Os fabricantes nacionais comemoraram uma ação inédita da Agência da Vigilância Sanitária (Anvisa), que aprovou as regras para a fabricação dos suplementos alimentares, que até julho de 2018 não existiam. Foram 189 ingredientes aprovados que podem constar nos rótulos, atendendo aos devidos critérios.

Isso representa uma diminuição nas barreiras para comercialização dos produtos, além de abrir margem para a inovação. Para o consumidor, os principais benefícios serão o devido controle sanitário, gestão dos riscos para os clientes e fiscalização adequada.