Nutrição inteligente: Suplementos não substituem boa alimentação, aponta estudo

0
262
Suplementos
Suplementos (Foto: Pixabay)

Os suplementos alimentares se tornaram muito presentes na rotina da população mundial. Isso porque, com o dia a dia cada vez mais intenso e cheio de afazeres, as pessoas optam por fazer refeições rápidas, que geralmente são industrializadas e perdem muito em valor nutricional.

Com isso, acabam tendo que repor os nutrientes e minerais necessários para o bom funcionamento do organismo. Porém, estudos recentes comprovam que essa pode não ser uma boa alternativa, porque os suplementos não são absorvidos pelo organismo da mesma forma como se fosse ingerido pelos alimentos.

Um estudo publicado em maio pela revista científica Annals of Intern Medicine alerta para a substituição da alimentação natural pelos suplementos alimentares. De acordo com os dados divulgados, a ingestão suficiente de substâncias como zinco e vitaminas A e K, magnésio e cobre, está relacionada com menores riscos de morte, mas isso só acontece quando esses elementos são absorvidos pelo corpo por meio de uma dieta saudável e equilibrada.

O grupo de pesquisadores avaliou cerca de 30 mil voluntários que participaram do Levantamento Nacional de Saúde e Nutrição entre 1999 e 2010, nos Estados Unidos. Eles relacionaram o uso de suplementos com os hábitos alimentares dos indivíduos.

O estudo mostrou que pacientes que fizeram a suplementação de forma exagerada de cálcio estavam mais propensos ao risco de morte por câncer. E ainda, os que ingeriram vitamina D sem ser necessário também tiveram maior risco de morte durante o período em que foi feito o experimento.

Quando o uso dos suplementos é benéfico?

A recomendação dos especialistas é clara e unânime: a suplementação deve ser feita apenas quando a pessoa tiver a indicação médica para isso e na quantidade ideal e específica para cada caso.

Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Alimentos para Fins Especiais e Congêneres (Abiad), os suplementos fazem parte da rotina alimentar em 54% das residências brasileiras. A maior justificativa é a necessidade de complementar a dieta.

De acordo com a editora do site SaudavelEForte, Gabriela Silva, quando a ingestão dos suplementos é feita de forma autônoma, os resultados podem ser muito ruins para o organismo. “A alta quantidade de nutrientes e minerais no corpo pode acarretar alguns problemas de saúde, como a sobrecarga dos órgãos e alteração do funcionamento do metabolismo. Os exames é que mostram qual suplemento e a quantidade ideal para cada organismo. Por isso, não deve ser feito por conta própria”, explica.

O ideal é consumir os alimentos da forma mais natural possível. A suplementação, quando indicada, também deve fazer parte de uma dieta balanceada e nunca devem ser usados para substituir as refeições.

Se usados da forma correta, os suplementos trazem muitos benefícios à saúde. Em geral, eles são recomendados para as pessoas que têm problemas com a absorção de nutrientes ou que precisam de doses maiores do que as refeições proporcionam, como é o caso dos atletas.