Minas Gerais aumenta rede de exames para detectar o novo coronavírus

0
230
Teste Coronavírus
Teste Coronavírus

O governo federal enviará para o estado de Minas Gerais um lote de testes rápidos para o novo coronavírus. Os primeiros 500 mil, dos 5 milhões de exames adquiridos pela Vale na China, chegaram em São Paulo na segunda-feira (30). Os testes serão repassados aos 26 estados brasileiros e ao Distrito Federal. De acordo com o subsecretario de Vigilância em Saúde, Dario Brock Ramalho, a expectativa é que aproximadamente 50 mil testes rápidos — cujo resultado sai em período entre 15 e 30 minutos — sejam destinados ao estado.

A União deve começar a distribuição na próxima semana. A prioridades dos testes serão para os profissionais da saúde e das forças de segurança. Segundo o secretário de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, a ideia é que Minas passe a realizar, em pouco tempo, cerca de 1.800 exames diários — considerando também, o teste molecular, feito em pacientes graves e de responsabilidade da Fundação Ezequiel Dias (Funed).

Visando aumentar a produção, o governo recorreu à rede estadual de laboratórios em saúde pública, encabeçada pela Funed, disse Carlos Eduardo. Segundo ele, a partir desta semana, laboratórios de todo o estado de Minas Gerais irão poder agilizar a divulgação do resultado dos testes, manipulados atualmente apenas pela Funed — com capacidade operacional para 200 exames diários.

De acordo com o subsecretario de Vigilância em Saúde, o plano de contingência dos laboratórios deve fazer com que o aumento da capacidade produtiva de testes no estado seja visto daqui a, no máximo, 10 dias.

A Funed é responsável pelo exame de biologia molecular, chamado de RT-qPCR. O modelo, que detecta a presença do vírus ainda dentro do período de ação no organismo, é utilizado, sobretudo, em pacientes graves. A alta demanda tem feito com que os pacientes esperem pelos resultado por um prazo maior que a média de 48 horas gastas para, em condições normais, finalizar a análise da amostra coletada.

Os testes rápidos são aplicados em pacientes que estão entre o sétimo e o decimo dia do início dos sintomas. uma gota de sangue do paciente é coletada e, a partir dela é possível analisar se os anticorpos produzidos pelo corpo para combater a Covid-19 estão presentes. O procedimento é parecido ao expediente adotado para a medição da taxa de glicemia.

Antes da transferencia aos estados, os testes vindo da China serão analisados pelo Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS), ligado à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). O restante dos kits comprados devem chegar até o fim do mês.

Aumentar o numero de cidadãos testados é fundamental para melhorar o controle da pandemia, contando que mais de 80% dos infectados pelo vírus não apresentam sintomas.

Força – tarefa

Além da ativação da rede de laboratórios, o governo do estado pretende colocar, em operações ligadas ao coronavírus, as seis maquinas que a Funed tem para a realização de exames de HIV. De acordo com Dario Brock, a Secretaria de Saúde entrou em contato com o Palácio do Planalto para que os equipamentos tenham os insumos necessários para detecção do novo coronavírus. Devem ser usadas, também, maquinas responsáveis pelo exame de biologia molecular para tuberculose.

A UFMG pode, em breve, se juntar à rede de ajuda à Funed na realização dos exames. De acordo com Flávio Fonseca, universidade, fundação e Secretaria de Saúde têm trabalhado juntos para superar os entraves legais que impedem a concretização da parceria.