Nutrição Inteligente | Alimentação e o Covid-19

0
1325
Alimentação durante a pandemia
Alimentação durante a pandemia (Foto: Google Imagens)

No dia 16 de março, o Conselho Federal de Nutricionistas (CFN) divulgou um comunicado para informar que “não existem protocolos técnicos nem evidências científicas que sustentem alegações milagrosas” e afirmou que as informações que circulam nas redes sociais “são motivos de preocupação” e que “não devem livrar o indivíduo da responsabilidade de adotar as medidas preventivas recomendadas pela OMS”. Não existe alimento específico capaz de aumentar a imunidade e impedir que qualquer indivíduo se infecte com o Coronavírus.

A imunidade depende de inúmeros fatores como sono, estresse, doenças crônicas, medicamentos em uso, etc. E é claro, manter uma alimentação saudável traz vários benefícios, auxiliando na forma como o indivíduo convive com a doença. Alguns alimentos são indispensáveis no plano alimentar de qualidade.

Com a situação que estamos vivendo, o estresse emocional pode aumentar a presença de radicais livres, podendo comprometer o sistema imunológico e nos tornar mais propensos à doença.

Leia abaixo a importância de algumas fontes alimentares para auxiliar na imunização:

As frutas e hortaliças contêm compostos antioxidantes, capazes de neutralizar ou evitar a formação de radicais livres.  Dê preferência as frutas e hortaliças in natura. O prato colorido é a melhor opção! OMS recomenda 5 porções diárias de frutas e hortaliças.

Todas as vitaminas e minerais são essenciais para fortalecer a imunidade, portanto EVITEM alimentos industrializados, pois além de não conter vitaminas e minerais, muitas vezes só trazem calorias vazias.

Não se esqueçam dos alimentos de origem animal. As carnes, principalmente a vermelha, derivados de animais e frutos do mar são fontes de zinco.

As leguminosas, oleaginosas (nozes, amêndoas e castanhas) e verduras folhas são fontes de magnésio.

As fontes de gorduras (gema do ovo, queijo) e vegetais de cores alaranjadas (manga, mamão e cenoura) são ricos em precursores de vitamina A.

As frutas cítricas (laranja, mexerica, maracujá, limão, abacaxi) são ricas em vitamina C. A recomendação para um indivíduo adulto de vitamina C é de 90 mg/dia. Com apenas uma fatia ou uma unidade dessas frutas é possível atingir a quantidade recomendada, não havendo a necessidade de suplementar com cápsulas desta vitamina.

As vísceras, leite, ovos, legumes, verduras, especialmente o brócolis e a couve, cereais integrais, leguminosas, como ervilhas, algumas oleaginosas, como amendoim, castanhas e nozes e abacate e levedo de cerveja são ricos em vitaminas do complexo B. A vitamina B12 é encontrada apenas nos alimentos de origem animal.

A saúde intestinal também é essencial para o sistema imunológico. A microbiota intestinal é um conjunto de bactérias benéficas, que em associação com a mucosa intestinal, são frente de defesa contra organismos patogênicos. Ela evita que os patógenos se multipliquem, que ultrapassem as barreiras e penetrem no organismo, reduzindo as chances de causarem doenças. Portando é remendado a ingestão de fibras, encontrada nas frutas, verduras, legumes e alimentos de fontes integrais.

Prefira alimentos in natura ou minimamente processados. Os alimentos ultra processados são ricos em gorduras, açúcares, sódio e pobre em fibras.

E por fim, ter uma hidratação adequada é uma das principais aliadas nas infecções virais, beba de 35 a 40ml água/Kg peso por dia. Na prática esportiva, esse volume deve aumentar.

Não se esqueçam de higienizar todos os alimentos in natura de forma correta para evitar a contaminação por microrganismos. Siga abaixo as instruções:

– Remover raízes e partes deterioradas

– Lavar em água corrente as frutas e hortaliças um a um, e no caso das verduras, folha a folha.

– Secar com auxílio de papel toalha ou centrífuga de alimentos e, guardar na geladeira.

– Desinfetar em solução clorada por 15 minutos – 1 colher de sopa de hipoclorito de sódio ou água sanitária (sem alvejante) para 1 L de água.

-Lembre-se que só o cloro consegue matar microrganismos, como vírus, bactérias e fungos.

Conserve os alimentos a temperaturas seguras, existem cuidados que devem ser tomados para evitar a contaminação:

– Mantenha a temperatura abaixo de 5 °C ou acima de 60 °C para retardar a multiplicação desses microrganismos.

– Não descongele os alimentos à temperatura ambiente, faça isso dentro da geladeira, na função “Descongelar” no micro-ondas, ou cozinhar imediatamente no forno ou micro-ondas.

– Conserve os alimentos a temperaturas seguras. Existem cuidados que devem ser tomados para evitar a contaminação:  durante o cozimento, os alimentos devem atingir 70 °C para eliminar o Coronavírus e os outros patogênicos e, garantir a ingestão segura.

– Após o cozimento, refrigere rapidamente alimentos perecíveis ou cozidos.

– Sobras de comida não devem ser armazenadas na geladeira por mais de 3 dias.

Todo cuidado irá fazer toda a diferença. Cuidem-se!

Referência bibliográfica: Orientações Nutricionais para o Enfrentamento do COVID-19. UFRN, 2020

Você pode encontrar Maristela nas seguintes redes sociais:

Instagram
Facebook