Confira dicas importantes de economia da Cemig com o chuveiro elétrico

0
306
Chuveiro elétrico
Chuveiro elétrico (Foto: Reprodução)

A pandemia do coronavírus trouxe muitas mudanças nos hábitos das pessoas, que podem refletir na conta de energia elétrica. Com a aproximação do inverno e com as pessoas mais tempos em casa por conta do isolamento social, as faturas tendem a aumentar. Desta forma, a Cemig volta a ressalta dicas de economias, principalmente, para o maior consumidor de energia das casas: o chuveiro elétrico.

Em virtude de sua grande potência, o chuveiro consome muita energia, principalmente no inverno – quando é difícil prescindir do banho quente. De acordo com Thiago Batista, engenheiro de Eficiência Energética da Cemig, os clientes devem ter atenção já na hora de escolher o equipamento na hora da compra.

“A potência do chuveiro é determinante em seu consumo e é possível encontrar desde opções de 3200W a 7400W e é responsável por, aproximadamente, 30% da fatura de energia de uma família”, explica.

Atualmente, é possível que as pessoas adquiram chuveiros com mais opções para regulagem da temperatura ou mesmo aparelhos que, quando instalados no chuveiro proporcionam um ajuste da temperatura mais adequado ao clima. “Esse recurso pode ser interessante para economia de energia uma vez que, com ajustes de temperaturas intermediárias, pode-se evitar que o consumidor permaneça com a chave seletora na posição inverno, consumindo mais energia”, ressalta. 

Além de prestar atenção na potência do aparelho, as pessoas  devem ficar atentas à forma de uso, já que o consumo da energia é dado pela fórmula “potência vezes o tempo de utilização”. Conforme destaca o especialista da Cemig, os clientes podem economizar energia ao reduzir o tempo de banho e ao desligar o chuveiro na hora de ensaboar.

”Mesmo no inverno, algumas regiões de Minas Gerais possuem o clima ameno, desta forma as pessoas podem deixar o chuveiro na posição verão, isso gera uma economia de, aproximadamente, 30%. Ou então, mesmo que o equipamento esteja na posição inverno, as pessoas podem diminuir o tempo de banho”, afirma Batista.

Thiago Batista também destaca que os clientes devem avaliar a possibilidade de instalação de um sistema de aquecimento solar, uma vez que o custo desse tipo de equipamento pode se pagar em pouco tempo com a redução do consumo de energia pelo chuveiro elétrico.

Segurança é fundamental para evitar acidentes na instalação do chuveiro


Trocar a resistência do chuveiro quando ocorre à queima é uma tarefa relativamente simples, mas, como qualquer execução de serviços na instalação elétrica, pode provocar acidentes com a rede elétrica, se os devidos cuidados não forem tomados. Por isso, o mais prudente é que um profissional realize o serviço. Para fazer a substituição, a Cemig listou cinco medidas que devem ser observadas na instalação do equipamento.

1) Para qualquer intervenção nas instalações elétricas da residência, o disjuntor correspondente ao circuito elétrico deve ser desligado.

2) Sempre adquira uma resistência nas mesmas características da original queimada: alterar as características do equipamento pode comprometer a qualidade do produto, bem como as instalações elétricas, que já estavam projetadas para a resistência utilizada anteriormente.

3) Após substituir a resistência e antes de ligar o disjuntor, abra a torneira e deixe-a aberta alguns segundos, o suficiente para que ela possa encher o chuveiro completamente de água, pois este procedimento evita a queima da resistência instalada.

4) Utilize sempre conectores apropriados.

5) Verifique se a potência do chuveiro retirado é compatível com a potência do chuveiro instalado. Caso o novo chuveiro tenha uma potência elétrica mais elevada, a instalação elétrica da residência deverá passar por uma inspeção de um profissional qualificado.