DMAAE rebate vereadores e explica como pode reduzir a tarifa de água

0
814
Bruno Zucareli (Foto: Facebook)

Na 1ª Sessão Ordinária do ano de 2018, os vereadores de Ouro Fino fizeram diversas críticas ao DMAAE, alegando que o departamento não cedeu aos pedidos da Câmara e que não seria possível alterar a política tarifaria.

Nossa reportagem conversou com Bruno Zucareli, diretor do DMAAE, onde ele nos esclareceu alguns pontos e rebateu as críticas feitas pelos vereadores. Segundo ele, o departamento também anseia pela diminuição da tarifa, entretanto, não é algo que será feito do dia para a noite, e exige a participação popular e de órgãos competentes da cidade. Além disso, Bruno enfatizou que é impossível realizar uma mudança de uma hora para outra e seguir os parâmetros que um parlamentar indicou, só pelo fato dele achar que seria o valor correto a se pagar. Ademais, o desejo do diretor do DMAAE é oferecer uma água de qualidade a população com tarifas baixas.

Bruno também comentou sobre o Ofício que foi enviado pela Câmara ao DMAAE. De acordo com ele, seria louvável a possibilidade de concretizar o pedido dos vereadores. E ele, que também é consumidor e paga para ter água, adoraria pagar R$10,00 mensais. No entanto, o departamento contratou uma empresa de Assessoria, que avaliou o ofício de todas as maneiras, e chegou-se a conclusão que seria impossível acatar o pedido feito devido ao grande impacto orçamentário que causaria ao DMAAE. Ainda sobre o ofício, Bruno relatou que não foi feito nenhum tipo de estudo orçamental pelos parlamentares ao elaborar o documento.

Bruno enviou um novo documento a Câmara Municipal, respondendo o pedido dos vereadores. E nele, foi dito que como diretor do DMAAE, ele não tem competência legislativa para alterar a politica tarifária da empresa, que isso é uma impossibilidade jurídica. E, que o pedido dos vereadores é irrealizável, pois afetaria todo o cronograma da empresa, e se aprovado, o agente que realizou a ação, é processado por Improbidade administrativa

Bruno deixou claro que a mudança tarifária é uma das aspirações da empresa, porém, deve ser feita com extrema responsabilidade, e também disse ser nula a tentativa dos vereadores de agradar a população utilizando critérios ilegais.

Bruno lamentou muito as divulgações feitas nas redes sociais distorcendo os fatos, onde a empresa foi taxada em não querer mudar a política tarifária. E sobre a informação dada na Câmara, que o DMAAE não quer realizar a diminuição da tarifa, Bruno disse: ”Essa informação não procede. É absolutamente falsa e distorcida. O DMAAE quer remodelar a política tarifária, a gente tem que refazer a nossa tarifa, por exemplo, hoje, o mínimo é 15000 litros, eu também acho que devemos modificar isso aí, mas temos que ter critérios técnicos, não podemos criar um critério que vá lesar a empresa, lesar dentro do planejamento da empresa, que inclusive a própria Câmara votou. É aprovado todo começo, meio e final de ano as diretrizes orçamentárias. A gente convida eles para um debate sereno, sério, de acordo com a lei, longe de emoções. Volto a dizer, tudo que foi dito lá a respeito do DMAAE não querer dar desconto, DMAAE não quer rediscutir política tarifaria, pelo contrário, é uma das nossas pautas desde o início desta nova direção, só que a gente precisa trabalhar isso com menos emoção e com mais técnica, com mais razão, visando a população. Sem, principalmente, envolver questões políticas, pois a gente sabe que determinados parlamentares têm seus grupos, então, a gente tem que tirar essa questão da política e tomar como base os critérios técnicos. Pois, isto é técnica e não tem a ver com política. É isso que eu quero deixar claro.”

Abaixo, o ofício enviado pela Câmara Municipal ao DMAAE: